Eduardo Luís Patriarca: Meditação em fractais e espectros

26 Novembro – Sábado

21h30

Auditório

Eduardo Luís Patriarca: Meditação em fractais e espectros

Apresentação do compositor Eduardo Luís Patriarca

Convidados: 

Manuela Paraíso – Jornalista/Divulgadora de música erudita portuguesa/Autora do programa “Na Outra Margem”

Bruno Pereira – cantor, produtor (associado ao Engenho das Ideias) e professor

Zazen, para percussão e electrónica [estreia] – Nuno Aroso (interpretação)

Ixchel, para guitarra – Augusto Pacheco (interpretação)


Eduardo Luís Patriarca

http://www.eduardoluispatriarca.com/

http://www.mic.pt/

Começou os seus estudos musicais em 1974, no Colégio de Nossa Senhora da Esperança, em piano.

Em 1985 ingressa no Curso de Música Silva Monteiro, onde conclui o Curso Complementar de Piano com Sofia Matos. Estuda ainda com Joaquim Marques da Silva, História da Música e com Fernando C. Lapa, Análise e Técnicas de Composição.

Em 1990 é admitido no Curso Superior de Composição na Escola Superior de Música do Porto, estudando com Cândido Lima, Filipe Pires, Amílcar Vasques Dias e António Pinho Vargas. Nas restantes áreas teve como professores Álvaro Salazar, Günther Arglebe, Miguel Ribeiro Pereira e José Luís Borges Coelho. Mais tarde, na Escola Superior de Música de Lisboa estuda com António Pinho Vargas e Christopher Bochmann.

Durante estes anos foi aluno de Jorge Peixinho (como aluno particular e frequentando os Curso de Aperfeiçoamento de Vila do Conde e o Curso de Formação para professores do GETAP), frequentou seminários de Emmanuel Nunes na Fundação Calouste Gulbenkian, e seminários de Wilfred Jenstchz, Gherard Staebler, António Sousa Dias, Leo Brouwer e Philippe Hurel.

Como professor leccionou em Pedrosos, Espinho, Maia, Mirandela e Póvoa do Varzim. Desde 1991 lecciona na Academia de Música de S. Pio X de Vila do Conde.

As suas obras têm sido tocadas com regularidade em vários locais de Portugal, bem como no estrangeiro. Algumas das suas obras encontram-se gravadas por músicos como Duo Porquoi Pas, Nuno Aroso, Síntese, etc.

Tem participado como convidado e com obras encomendadas no Festival Síntese da Guarda, onde estreou em 2009 “Fractal Points” para piano e ensemble, pelo grupo Síntese e tendo como solista o pianist Fausto Neves.

É desde 2004 júri do Concurso “Marília Rocha”, classe de piano.

Em 2006, participa como conferencista do Encontro “Matemática e Música” co-organizado pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Casa da Música. Aí apresenta uma conferência sobre fractais e música espectral.

Entretanto ingressa no mestrado em composição na Universidade de Aveiro, sob orientação de Isabel Soveral, sobre a temática fractais e música espectral na obra de Kaija Saariaho.

Em 2011 estreou a sua obra “Ixchel”, pela guitarrista Margarita Escarpa e “Ensō” para orquestra, encomenda do Festival Harmos. No mesmo ano escreve “Processione” para quarteto de cordas, encomenda do Quarteto de Cordas de Matosinhos.

Anúncios

“Crer em Deus e Saber Sobre Deuses”

:: Dia 11 | sexta-feira

 Auditório, 21h30

 “Crer em Deus e Saber Sobre Deuses”

Palestra com Onofre Varela

O anti-clericalismo da primeira República e o nacional-catolicismo do Estado Novo, são dois extremos que ainda hoje marcam a sociedade portuguesa na sua postura perante o fenómeno da Religião.

A ideia de Deus, sempre tão presente no nosso quotidiano, acaba por dominar as sociedades onde a crença religiosa tem mais penetração, mas, paralelamente, o pensamento ateu existe e goza de boa saúde.

A dicotomia entre crente e não crente é abordada através da leitura crítica do livro editado em Espanha “La fé explicada”, do padre católico norte-americano Leo J. Trese.

As suas perguntas primárias “Quem nos criou? Quem é Deus?” merecem a atenção do palestrante, que as confronta com outro pensamento que não o estritamente religioso, e conclui ser errado aquilo que Leo J. Trese afirma ser certo, e que as suas questões estão propositadamente mal formuladas com vista a seduzir os crentes menos avisados, mas que não colhem em pessoas mais informadas.

As razões dos crentes de várias sensibilidades religiosas, que em Fevereiro de 2007 se reuniram no pavilhão da Culturgest, em Lisboa, dando corpo a um ciclo de conferências subordinado ao tema “As Religiões dos filhos de Abraão”, são examinadas pelo raciocínio do não crente, que conclui ser “a dispensa do raciocínio” a condição essencial para se ser deísticamente crente, pois exime o religioso de pensar para além dos mandamentos da sua fé, de questionar e analisar os porquês dessa mesma fé que, não encontrando contestação nem dúvida, pode, no extremo, escravizar o crente.

Considerando que todos nós somos ignorantes, pois o conhecimento e o saber não será total para ninguém em tempo algum, conclui-se que a diferença existente entre o crer e o saber faz a qualidade do pensamento, e que em tudo, na vida, é incomparavelmente preferível saber do que crer.

 Onofre Varela

Onofre Varela nasceu no Porto em Setembro de 1944. Iniciou-se no mundo do trabalho com 14 anos, como aprendiz de tipógrafo. Estudou Pintura Decorativa em regime de aulas nocturnas, enquanto exercia a profissão de desenhador  litográfico.

Em 1965, ao serviço do Exército, partiu para a Guerra Colonial no território de Angola, onde colaborou com a revista Notícia, de Luanda, fazendo banda desenhada para o suplemento infantil Pica-Pau. A partir de 1968 exerceu funções de criativo gráfico em agências de publicidade de Lisboa e do Porto. Em 1970 entrou  no mundo da imprensa.

Iniciou-se no jornal O Primeiro de Janeiro como maquetista, ilustrador e caricaturista, passando pelo Notícias da Tarde, O Jogo, O Comércio do Porto e Jornal de Notícias. Neste, exerceu o cargo de Ilustrador Principal. Em 1972 viajou a França e à Bélgica, com o intuito de por lá ficar a fazer banda desenhada, tendo-se avistado com Claude Moliterni em Paris, e falado com os chefes de redacção das revistas Tintin, Pilote e Spirou, em Bruxelas, e trocado correspondência com Hergé.

Colaborou com várias publicações periódicas, nacionais e regionais, (entre as quais O Tripeiro) e teve uma colaboração, na década de 80, na Rádio Televisão Portuguesa, no programa da manhã Às Dez, desenhando em directo a informação meteorológica.

Na RTP também participou em programas infantis executando desenhos a partir de traços iniciados por crianças. Expôs o seu trabalho em Portugal, Espanha, França, Turquia, Macau e Brasil, e foi premiado várias vezes, nacional e internacionalmente, pelo seu desempenho de gráfico e de cartunista.

Recebeu um prémio das Nações Unidas em 1984, pela criação de um logótipo tendo em vista a integração social dos delinquentes, e em 1998 foi-lhe atribuido o Diploma de “Profesor Honorífico del Humor”, pela Universidade de Alcalá de Henares, Madrid. É referido no Dicionário de Personalidades Portuenses do Século XX, da Porto Editora, publicado no âmbito da  Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura, e no Dicionário Antológico de Artes e Letras de Gondomar (2008).

Após sair do JN (em 2000) com vista à reforma antecipada, estudou teatro no TEP e, como actor,  representou teatro de Revista e Comédia no Teatro Sá da Bandeira e em grupos amadores de Gaia e Matosinhos. Interessado pelo fenómeno religioso desde a juventude, foi o iniciador do movimento que levou à criação da Associação Ateísta Portuguesa, da qual é membro dirigente. Atento ao discurso da Igreja, viu, leu e ouviu responsáveis eclesiásticos, que lhe forneceram material suficiente para escrever o livro “O Peter Pan Não Existe — Reflexões de um Ateu”, publicado pela Editorial Caminho em Janeiro de 2007.

Neste momento tem no prelo um novo livro sobre o tema, com o título “O Homem Criou Deus”, cujo lançamento deverá ocorrer ainda este ano de 2011.

IV Semana do Homenageado “Tempo de Homenagem a António Portugal e António Pinho Brojo”

Clube Literário do Porto | 2 a 14 de Novembro

Sábado, 12 de Novembro de 2011 (Cultura / Obra)

10h00: II Sessão “Guitarra Portuguesa para crianças”

Sessão de experimentação de guitarra portuguesa enlaçada com “estórias” de crianças crescidas.

(Sessão aberta ao público. Entrada livre)

18h00

Lançamento do livro “O Canto e a Música de Coimbra Fotobiografia de Augusto Camacho Vieira”

Apresentação e tertúlia com a presença do autor  – Eng.º Manuel

Fernando Marques Inácio – e a participação do Dr. Augusto Camacho

Vieira e do Grupo de Fados do ISEP.

Momento musical.

(Sessão aberta ao público. Entrada livre)

Domingo, 13 de Novembro de 2011 (Sociedade / Mobilidade Sem Limites)

17h00: “Silêncio Fado Silêncio”

IV Sessão de Fado para surdos. Tertúlia técnica com a presença de

especialistas convidados.

(Sessão aberta ao público. Entrada livre)

Segunda, 14 de Novembro de 2011 (Despedida)

Encerramento da “IV Semana do Homenageado”

Palestra “Reflexões sobre a Doutrina do Quinto Império”

:: Dia 12 | sábado

Piano bar, 16h00

 Palestra “Reflexões sobre a Doutrina do Quinto Império”

“Reflexões sobre a Doutrina do Quinto Império” pretende apresentar uma nova doutrina espiritista e espiritualista, racional e cintífica de base cristã que na História da Humanidade e pela primeira vez se apresenta como única, sendo completamente diferente de quaisquer correntes ou movimentos filosóficos ou religiosos então surgidos ou existentes estando naturalmente vocacionada para vir a ser um novo movimento idealista fundamentado nos princípios científicos do Evolucionismo e mobilizador de uma nova missão dos Portugueses no mundo”.

Orador: Jacinto Alves 

Olhares Cruzados sobre a situação dos estudantes cabo-verdianos no Porto

:: Dia 5  | sábado

Auditório, 17h00 

Olhares Cruzados sobre a situação dos estudantes cabo-verdianos no Porto:

Integração, Associativismo, Desvio Social e Relação com as Autoridades

Daisy Correia da Silva (FEP)

Delila Leite (ERC)Tendo em conta o número considerável de cabo-verdianos que tem procurado o Grande Porto como o seu local de estudos, número esse que tem aumentado de ano para ano, e as eventuais dificuldades que lhe são afectantes, achou-se pertinente convidar a toda comunidade académica crioula a levantar o olhar sobre a situação dos estudantes cabo-verdianos no Porto.

Neste sentido, no âmbito da Tertúlia Crioula Itinerante e da estreia da Tertúlia Crioula Portuense, pretende-se promover um fórum de discussão, no dia 05 deste mês, sobre diversos aspectos ligados aos estudantes cabo-verdianos que vivem no Porto, englobando não só o associativismo, mas também a integração, o desvio social, a relação com as autoridades, entre outros.

Esse fórum, intitulado “Olhares Cruzados sobre a Situação dos Estudantes Cabo-verdianos no Porto: Integração, Associativismo, Desvio Social e relação com as Autoridades”, pretende-se que seja um espaço de debate, reflexão, e crítica intersubjectiva, assentes num dialogo cívico, sobre os reais problemas que, numa circunstância ou outra, nos afectam a todos nós. No fim, pretende-se que estejamos mais conscientes desses mesmos problemas, e que, de alguma forma o fórum contribua para o progresso da situação actual. Aliás, dizia Joseph Joubert, o objectivo da argumentação, ou da discussão, não deve ser a vitória,mas o progresso.

Como pré- abertura do fórum, lançamos as seguintes questões:

(1) Como avalia o nível de integração dos estudantes caboverdianos nos meios académicos e sociais do Porto?
(2) Quais são os maiores entraves a essa integração?
(3) Quais devem ser as competências da associação dos estudantes caboverdianos no Porto?
(4) Achas que as sucessivas direcções associativas dos estudantes caboverdianos têm cumprido cabalmente as suas funções, tendo em conta o limite de meios que têm tido disponíveis?
(5) E os estudantes, têm cumprido o seu papel? Vê-se neles o espírito de associativismo?
(4) Como tornar a associação dos estudantes caboverdianos sustentável, dotando-a de meios que lhe permitam cumprir as suas funções?
(6) Que papel cabe as entidades caboverdianas para melhor a integração, o associativismo, etc, e consequentemente a situação dos seus estudantes no Porto?
(7) Como avalia a política educativa das entidades cabo-verdianas em relação aos estudantes em Portugal, e particularmente no Porto?
(8) Considera que a imagem dos estudantes caboverdianos perante a sociedade portuense piorou ou melhorou nos últimos tempos?

Conversa com Investigadores no âmbito do XII Encontro Nacional de Estudantes de Física

:: Dia 30 | Domingo

Auditório

18h

Conversa com Investigadores no âmbito do XII Encontro Nacional de Estudantes de Física

Prof. João Pedro Araújo (Nanotecnologias)

Galeria

18h

Conversa com Investigadores no âmbito do XII Encontro Nacional de Estudantes de Física

Prof.ª Carla Rosa (Física Médica)

Cave

18h

Conversa com Investigadores no âmbito do XII Encontro Nacional de Estudantes de Física

Prof. Joaquim Moreira (Electromagnetismo)

Livraria

18h

Conversa com Investigadores no âmbito do XII Encontro Nacional de Estudantes de Física

Prof. Paulo Gali

ENCONTRO COM O POETA BRASILEIRO, GOULART GOMES, INVENTOR DO ” POETRIX”

29 de Outubro – Sábado

15h – Piano bar

ENCONTRO COM O POETA BRASILEIRO, GOULART GOMES, INVENTOR DO ” POETRIX”

Do programa, que se pretende simples e despretensioso, consta uma abordagem ao Poetrix e à sua expansão a nível mundial, por parte do nosso ilustre visitante Goulart Gomes, com quem iremos manter uma informal conversa, e leitura de Poetrix e outros géneros de poesia, entre os participantes.
A sessão é promovida e será coordenada pelos poetas Anthero Monteiro (o primeiro autor desta modalidade poética a editar um livro de Poetrix na Europa) e Eduardo Roseira, também poetrixta e diretor do Boletim de Poesia “LAVRA”.
Estarão ainda presentes outros poetrixtas nacionais.

Quem é GOULART GOMES? O que é POETRIX?
Leia in:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Goulart_Gomes

HOMEPAGES:

www.goulartgomes.com
e www.movimentopoetrix.com

I Encontro Literário da Associação Florbela Espanca

:: Dia 29 | Sábado

Auditório

17h

I Encontro Literário da Associação Florbela Espanca

Neste I Encontro do Clube de Leitura da Associação Florbela Espanca, propõe-se uma leitura crítica e uma reflexão sobre uma obra notável da literatura portuguesa.

Aparição, de Vergílio Ferreira, obra maior do existencialismo português, propõe uma introspecção sobre a essência do Homem e o absurdo da morte. A angústia de se saber grande e simultaneamente finito é o problema que leva Alberto Soares a procurar soluções  ” … só há um problema para a vida, que é de saber, saber a minha condição… ter a evidência ácida do milagre que sou, de como infinitamente é necessário que eu esteja vivo, e ver depois, em fulgor, que tenho de morrer…”.

O encontro contará com a presença de Rogério Silva, professor de língua e literatura portuguesa na cidade do Porto.


A Logosofia, o conhecimento de si mesmo e o futuro da humanidade

Terça-feira, dia 28
Auditório, 16h00

 

Palestrante: David Cohen

Mais sobre a Logosofia:
Arte e cultura ao mesmo tempo, a Logosofia, ciência criada em 1930, na cidade argentina de Córdoba pelo pensador e humanista argentino Carlos Bernardo González Pecotche (1901-1963), está presente, atualmente, na Argentina, Alemanha, França, Uruguai, Brasil, México, Estados Unidos, Portugal, Espanha, Inglaterra e Israel. No Brasil desde 1935, a Fundação Logosófica em Prol da Superação Humana possui sedes culturais em 12 estados brasileiros e no Distrito Federal. Reconhecida como de utilidade pública pelo Decreto Federal 64210/69 (Brasil), é uma instituição sem fins lucrativos e desprovida de propósitos religiosos, políticos ou ideológicos.

         As actividades em suas sedes culturais têm como propósito principal a difusão dos conhecimentos logosóficos, que são de cunho original e de alta hierarquia moral, talhados para propiciar ao homem a realização de um processo de evolução consciente, e que apresentam os seguintes objectivos:

  • A evolução consciente do homem, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo;
  • O conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um;
  • A integração do espírito, para que o ser possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança;
  • O conhecimento das leis universais, indispensável para ajustar a vida a seus sábios princípios;
  • O conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as idéias e pensamentos que fecundam a vida humana;
  • A edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns;
  • O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de significado incalculável para o porvir pedagógico na educação da humanidade.

Visite o sítio oficial da Logosofia na internet:
www.logosofia.info
www.logosofia.org.br  (em Português)

Palestra: “A Importância do Auto-Conhecimento”

Sexta-feira, dia 18 / Auditório, 19h00

Vermo-nos todos os dias ao espelho não é o suficente para nos conhecermos. É preciso algo mais. É preciso irmos ao fundo de nós mesmos e percebermos donde viemos e para onde vamos. Ninguém nos diz isto, sobre a importância de olharmos para dentro. É este o desafio que deixo com a realização desta palestra. Não perca!!

Promotora e oradora: Sandra Ribeiro

Nota biográfica:
Sandra Ribeiro nasceu em Perosinho, V. N. de Gaia, em 1975.
Licenciada em Estudos Europeus, em 1997, pela Universidade Moderna do Porto, começou a sua carreira profissional como jornalista de economia, no semanário “Vida Económica”, situação que se mantém até hoje. A par disto, manteve sempre uma intensa actividade ligada a grupos de âmbito associativo, social e cultural.
Esta palestra surge como ponto de partida de um novo momento. Um momento em que pretende dar um novo rumo à sua vida profissional, optando pela criação de um projecto de promoção do desenvolvimento de pessoas e organizações rumo a uma vida mais integrada e plena.