Lançamento do Livro 18 Antologia Poética

::  Dia 18 sábado

Piano bar, 18h30

Lançamento do livro 18 Antologia Poética

Anúncios

Um Sentido na Poesia

:: Dia  7  |  3ª FEIRA
Piano bar, 21h00

 Um Sentido na Poesia

 tertúlia

A poesia tem todos os sentidos. É uma arte completa, esculpida na praça dos papéis, nas ruas das linhas, nas avenidas das frases.
Todos os sentidos têm poesia.

A magia do toque, o doce do paladar, a melodia da audição. Há um sentido que, porém, combina toda esta magia-doce-melodia da poesia. A visão.

Um poema pode ser lido na escuridão dos olhos, sob o olhar atento dos dedos.
Ainda assim todos o entendem. Todos o elevam. Todos o gritam.

Um sentido na poesia encontra a cada terceira quarta-feira do mês, o sentido numa noite de poesia, aqui no Clube Literário do Porto.

Participação ACAPO – Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal.

 

“Entrelinhas m’entrego” de Isabel Reis

:: Dia  16 sexta-feira 

Auditório

21h30

Apresentação do livro de poesia “Entrelinhas m’entrego” de Isabel Reis 

Maria Isabel de Araújo Reis, nasceu na bela cidade do Porto a 20 de Fevereiro de 1980, tendo vivido a maior parte da sua infância e adolescência em Matosinhos. Sendo a mais velha de 4, cedo desenvolveu o instinto maternal, por isso mesmo o seu filho Gabriel seja o grande amor da sua vida. A ele precede-se o amor pela escrita, por isso diga que escreve desde que se lembra de ser gente. Sempre devorou todos os livros ao seu alcance e escrevinhava em qualquer pedaço de papel, em qualquer hora… em qualquer lugar.  Escrever foi, como continua a ser o seu escape, a sua forma de “esvaziar” tudo que lhe vai na alma… na cabeça… no coração.

Nos livros que já tem publicados fala de amor e tudo que lhe está inerente sob a forma de poesia… diz-se uma romântica incurável e que acreditar no amor é a única forma que conhece de viver a vida.  Neste livro, Entrelinhas m’Entrego, como o próprio titulo diz, entrega-se… mais uma vez deposita pedaços de si, da sua vida e da sua alma em páginas de um livro… guarda-os como se guardam as almas nas fotografias, num momento chamado sempre e por isso… eterniza momentos e partilha-os… Partilha-os com todos aqueles que também amam, com todos aqueles que sorriem, sofrem… lutam e acreditam… mas também com aqueles que não acreditam… justamente por isso, para que acreditem, porque vale a pena acreditar no amor, vale a pena acreditar na vida. Porque hoje corre mal, mas amanhã nunca se sabe… amanhã pode correr bem e por isso há que nunca desistir… continuar sempre… Porque… VALE A PENA ACREDITAR EM NÓS.  

I Encontro Literário da Associação Florbela Espanca

:: Dia 29 | Sábado

Auditório

17h

I Encontro Literário da Associação Florbela Espanca

Neste I Encontro do Clube de Leitura da Associação Florbela Espanca, propõe-se uma leitura crítica e uma reflexão sobre uma obra notável da literatura portuguesa.

Aparição, de Vergílio Ferreira, obra maior do existencialismo português, propõe uma introspecção sobre a essência do Homem e o absurdo da morte. A angústia de se saber grande e simultaneamente finito é o problema que leva Alberto Soares a procurar soluções  ” … só há um problema para a vida, que é de saber, saber a minha condição… ter a evidência ácida do milagre que sou, de como infinitamente é necessário que eu esteja vivo, e ver depois, em fulgor, que tenho de morrer…”.

O encontro contará com a presença de Rogério Silva, professor de língua e literatura portuguesa na cidade do Porto.


Poemas Geométricos de Luís Bizarro Borges

:: Dia 22 | Sábado

Auditório

Piano-bar

18h30

Apresentação de Poemas Geométricosde Luís Bizarro Borges

Poemas Geométricosnão é livro (mas também não deixa de o ser). É uma obra não convencional, interativa, bilingue (português/espanhol), onde as palavras se revelam e ocultam com o gesto das mãos.
A obra é constituída por quatro formas geométricas: triângulo, círculo, quadrado e retângulo. As três últimas correspondem a poemas; a primeira aproxima-se ao conceito de capa.
Os poemas exigem interacção, manipulação para terem sentido. Há um jogo de ocultação/revelação. Implica que o recetor seja ativo para que a obra (também ela) tenha sentido.

O autor:

Luís Bizarro Borges é jornalista, autor e gestor de conteúdos culturais e criativos. Tem mais de 25 anos de atividade no jornalismo, exercendo a maior parte da sua carreira profissional no Jornal de Notícias, no Porto.

É autor de várias obras literárias, entre as quais “Pelo lado do invisível” e “Porra para o teatro!” (ambas edição Campo das Letras), além de peças de teatro, de dança-teatro e de espetáculos multidisciplinares.
Também fez cinema, tendo realizado o filme de curta-metragem “Ladeira do Pinheiro”.
Atualmente dedica-se às indústrias culturais e criativas.

Amar a vida inteira de Casimiro Brito

:: Dia 21 | Sexta-feira

Auditório

21h30

Apresentação do livro  Amar a vida inteira  de Casimiro Brito

Casimiro de Brito nasceu em 1938, em Loulé e tem sido um viajante infatigável. Publica desde 1958, e vão mais de 40 títulos (poesia, ficção, ensaio, aforismos, diário, traduções). Está incluído em 204 antologias, um pouco por todo o mundo e está traduzido para 26 línguas.

Está a escrever: o Livro das Quedas (poesia), o Livro do Eros, o Livro das Obsessões (fragmentos), o Livro dos Haiku, o Livro do Desejo (ficção), o Livro das Pequenas Coisas (quotidianos). A obra anterior será reunida noutros “livros”.

Ganhou vários prémios nacionais e internacionais:

o Versília, pela obra reunida;

o Leopold Senghor, pela carreira;

o Europeu de Poesia, pela tradução italiana do Livro das Quedas (Libro delle Cadute)…

Conselheiro da Associação Mundial de Haiku (Tóquio);

Embaixador Mundial da Paz (Genebra).

Ordem do Infante.

Quatro dos seus livros: Labyrinthus (Prémio da APE), Opus Affettuoso (Prémio do PEN), Na Via do Mestre, Da Frágil Sabedoria.

Amar a Vida Inteira é o terceiro volume do Livro das Quedas que será uma “obra sem fim” e de que o Amar a Vida Inteira constitui livro erótico.

A poesia de amor de Casimiro de Brito é considerada como das mais eróticas da poesia portuguesa.

Citação de João Barrento (que o apresentou na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa) sobre este livro:

«Há nestes cem poemas (ou sequências) uma respiração intranquila, funda, lenta, arfante, as mais das vezes intensa, que marca o ritmo de um longo percurso entre o viver e o escrever. E a certa altura a respiração suspende-se, volta atrás, retoma versos já ouvidos, introduz variações nos temas, nas teclas já tocadas, gerando uma orquestração do eterno retorno do desejo e das suas pequenas mortes sempre repetidas».

Poesia de Choque

:: Dia 17, quinta-feira
Piano bar, 21h30

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apresentação do livro “Nietzsche, Jim Morrison, HENRY Miller, os Mercados e Outras Conversas”, de A. Pedro Ribeiro

Org.: A. Pedro Ribeiro e Luís Beirão

Reportagem do Portal do SAPO. Para ler e ouvir clicar aqui.

FESTA DA POESIA

Este slideshow necessita de JavaScript.

:: Dia 10, quinta-feira
Piano bar, 22h00

 Apesar do Dia Mundial da Poesia se assinalar no dia 21 de Março, o CLP decidiu antecipar a efeméride e convidar os diversos colectivos que mensalmente realizam tertúlias de poesia. A anfitriã é a Quinta Essência que se realiza na 2.ª quinta-feira de cada mês e os convidados são: o Portugal Poético, a Poesia de Choque e as Quartas Mal’Ditas.